sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Dona Vegana

Quando era criança, e ainda não conhecia os Testemunhas de Jeová, fui atendê-los com minha avó na porta de casa. Eles me mostraram algumas publicações na qual, numa delas, havia uma ilustração que mostrava várias famílias felizes num gramado e diversos animais selvagens circulando entre elas. Um garoto brincava com um leão. Para eles, aquela era uma visão do futuro caso a humanidade seguisse os preceitos escritos naquelas revistas que eles ofertavam.

O que quero dizer é cada pessoa possui uma projeção de como será a humanidade no caso dela atingir seu grau máximo de evolução. Para os religiosos que bateram na minha casa naquela longínqua manhã, o futuro perfeito é composto por todas as pessoas do mundo seguindo uma única religião, convivendo em perfeita harmonia com todos os seres da natureza.

Para mim é um pouco diferente. Se um dia atingirmos este nível de evolução, acredito que viveremos num mundo sem religiões e sem exércitos e polícias, já que não será necessário temermos o inferno ou a prisão para respeitarmos o próximo. Também acredito que seremos vegetarianos. Por mais que hoje em dia se tente chegar a métodos menos traumáticos de abatimento dos animais, ainda assim é um processo brutal que associo à barbárie. E atualmente é possível ter uma vida saudável sem a necessidade de consumo de produtos de origem animal.
Bufê vegano

Apesar de ser adepto de uma alimentação saudável, não sou vegetariano e nem possuo a pretensão de um dia ser. Uma picanha mal passada é um raro prazer e vez por outra recorro a um cheese bacon. Consumo pouca carne, ao ponto de não poder doar sangue por conta das baixas taxas de "hemo qualquer coisa", mas mesmo assim não abro mão de comer um bicho morto.

Acredito que seja uma tendência, tenho percebido o aumento das pessoas que abdicam das proteínas de origem animal, se tornando vegetarianas ou veganas. Tenho vários amigos adotando essa filosofia de vida, e, por conta disso, novos produtos e restaurantes vão surgindo para atender esta demanda.

Até há pouco tempo, para fazer uma refeição vegana na rua (que não utiliza nada que provenha de animais, nem leite ou ovos), era necessário recorrer a distantes casas comandadas por hippies ou a bistrôs metidos a besta. Felizmente, abriu recentemente no Centro a Dona Vegana, restaurante a quilo com a mesma cara que tem as centenas de outros restaurantes a quilo espalhados pela cidade.

Na quinta-feira está em teste o "rodízio de comida de botequim vegana", que na verdade não chega a ser um rodízio, já que os pratos ficam disponíveis numa mesa e são eventualmente repostos. É um bufê liberado por R$22,00. A idéia é muito boa, que utiliza versões "animal free" em pratos tradicionais da baixa gastronomia brasileira, como pizzas cuja massa é feita com arroz, quibes com carne de soja e iscas de glúten acebolada.

Particularmente não gostei desse esquema de bufê, primeiro porque a comida esfria na mesa e segundo porque eu como pouco, e nesses casos nunca vale a pena pagar o preço. Parece até uma contradição, já que a alimentação saudável é feita com pequenas porções várias vezes ao dia, e não com o consumo de uma grande quantidade de uma só vez, mas é uma tentativa de aproximar o grande público ao tipo de alimentação proposta pela casa.

O preço da cerveja (que para felicidade geral da nação é uma bebida vegana) também está exorbitante, o que inviabiliza que eu considere frequentar os happy hours de lá. Paguei R$7,50 por long neck de 275ml da Devassa. Assim sendo, pretendo voltar apenas para os almoços, quero experimentar a feijoada vegana.

Pizza vegana
A Dona Vegana também possui lanches e doces, aceita doações para uma Ong que cuida de animais e possui uma pequena estante para troca de livros. Espero que estabelecimentos assim se espalhem pela cidade.

Dona Vegana
Avenida Marechal Floriano, 13 - Centro
Telefone: 2283-2012
Site: www.donavegana.com
www.facebook.com/donavegana

Um comentário:

  1. Quem te viu quem te vê sr. "Não pretendo me tornar vegan..." Bom saber que as pessoas evoluem seus pensamentos. .. vou me inspirar pra chegar lá um dia!

    ResponderExcluir