sábado, 22 de março de 2008

Paixão de Cristo

O soninho da tarde me impediu de acompanhar a procissão da sexta-feira santa, mas consegui assistir a encenação da Paixão de Cristo feita pelo GATIG na Igreja São José do Operário.

Foi realizada na marquise da Igreja e desta vez contou com uma produção bacana. Uma boa iluminação, som e microfones ambientes e de lapela deram um toque mais profissional ao trabalho, deixando aquela produção caseira dos anos anteriores para trás. Quem assistiu na praça Jerusalém sabe do que estou falando. Cabe ressaltar a lua toda iluminada logo acima da igreja, que parecia fazer parte do cenário.


O único problema é que não tinha um ambulante vendendo cerveja.


Foi um belo trabalho do GATIG e espero que se repita no próximo ano.


“E no terceiro dia, ninguém ressuscitou”
Capital Inicial


PS: ano que vem, vou levar um isopor com cervejas.


PS 2: depois do espetáculo os atores (na maioria gays) foram para Praia da Bica beber e fumar até de madrugada, mas acreditando que no próximo ano terão seus pecados redimidos por conta da encenação da Paixão.

2 comentários:

  1. Fui tamém !! foi muito legal, resumiram a história em uma hora, eu acho, nem ficou cansativo, mesmo sabendo o final.... Estão de parabéns todos, que mereceram a comemoração na praia da bica !

    mas a música ainda ficou devendo. Eu não sei se o povo sabe, mas a música é uma invenção dos beneditinos, monges, no século 4 D.C. A música conforme conhecemos hoje é toda escrita com base nas primeiras escritas desses monges, que inventaram por ex. a escala de dó, as setes notas.

    Por isso, é preciso caprichar na música sacra, de grande potencial emotivo. Quem sabe no próx. ano.

    VLW !!

    ResponderExcluir
  2. Tem razão Alex. A música deixou a desejar, mas no todo a encenação evoluiu muito em relação ao ano passado. Quem sabe em 2009.

    Abraços.

    ResponderExcluir