quinta-feira, 6 de março de 2008

Relógios de bolso

Digo e repito: sou homem à moda antiga. Nenhuma outra denominação se aplica a mim: metrossexual, macho alfa ou beta. Sou apenas homem. Sem viadagem!

Por conta disso, cultivo certos hábitos e pensamentos considerados por muitos como antiquados e atrasados. Prefiro pensar que são tradicionais. Um deles foi que sempre tive vontade de usar um relógio de bolso, mas como bom homem que sou, detesto compras. Minha digníssima também não é muito chegada, mas cumpre bem todas as datas "festivas" do nosso calendário católico ortodoxo romano comercial.

Outra da minhas estranhas preferências é meu gosto para vestimentas. Adoro a forma como os homens se vestiam no século XIX e início do XX: ternos e chapéus.

Enfim, está nas bancas uma coleção de relógios de bolso. Muito bacana, são peças de fino trato e de muito bom gosto. O primeiro exemplar custa R$17,00, o segundo R$34,00 e os 48 restantes R$50,00. Não é caro. Com R$50,00 é impossível comprar um bom relógio, e acompanha uma revista que conta um pouco da história da peça, o contexto histórico e outras informações.

Portanto, se você ver um rapaz esbelto, vestindo uma calça xadrez e um chapéu panamá, acendendo um cachimbo com um isqueiro zippo, com um relógio de bolso e uma caneta tinteiro na lapela da camisa e, futuramente, um suspensório, sou eu.

Direto do túnel do tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário