sexta-feira, 4 de julho de 2008

Pelo menos a gente se diverte

Quando não tenho aula eu gosto de andar uns minutos para pegar o ônibus no ponto final, para Ilha do Governador. Vou sentado e durante o trajeto posso colocar minha leitura em dia. Outro dia não. Estava doido para chegar logo em casa e resolvi encarar o coletivo lotado.

Viver nessa cidade é uma loucura. Toda vez que vejo um infeliz sozinho dentro de uma Hilux eu o amaldiçôo. São quarenta metros quadrados de pista pública para garantir o conforto de uma pessoa. Enfim... entrei no expresso Castelo x Bananal via inferno, era aquele empurra-empurra, roça-roça e um calor infernal. O engraçadinho da vez (impressionante, sempre tem um) fez meia dúzia de piadas, meia dúzia de pessoas dão umas risadinhas e uma senhora e diz: "pelo menos a gente se diverte".

Novela e Zorra Total demais dão nisso. Aposto que ela votou no César Maia, que quer renovar a concessão das empresas de ônibus por até 40 anos sem nenhuma exigência de renovação da frota, diminuição dos preços das passagens ou criação de um sistema de integração. Puta que pariu!

Como não queria interação fiquei quieto, mas se pudesse dar um conselho àquela senhora seria:

- Querida, pega seu marido, bebe umas cervejas e vai pro motel fuder a noite inteira. Dá próxima vez que você ouvir uma piadinha em situação semelhante, ficará puta da vida com a canalhice que fazem com esta cidade e sua população.

Citei sexo porque é minha maior diversão, mas pode ser uma ida ao teatro, museu, uma festa, cinema ou qualquer outra coisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário