segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Terminal Pesqueiro NÃO

A construção do terminal pesqueiro na Ribeira irá tirar o sono dos moradores deste pacato bairro da Ilha do Governador. Reconheço a importância do terminal, mas ele deve ser construído em um local apropriado.

O Alex, como bom jornalista, descobriu que dois terminais construídos pelo governo federal estão localizados em bairros chamados Ribeira. Um na Bahia e outro no Rio Grande do Norte. Coincidência? Talvez. O da Bahia é conhecido como bairro dos poetas, talvez apenas outra coincidência.

Ele também passou na Ilha do Fundão e visitou uma praia que talvez esteja pronta para receber o terminal, conforme publicou em seu blog.

Se você ainda não assinou o abaixo assinado contra o terminal, não perca tempo. Passe na feira que é realizada todo sábado, coma um pastel e coloque seu nome contra esse crime. Um email foi criado para mobilizar as pessoas que são contra. Envie uma mensagem e fique por dentro dos acontecimentos: terminalnao@gmail.com.

Eu resolvi fazer melhor: peguei o e-mail do ministério da pesca e já mandei uma mensagem de repúdio. Faça você o mesmo: comunicacao@seap.gov.br. Vamos enviar a maior quantidade de e-mail possível. Avisem seus amigos e peçam para que façam o mesmo.

Não vamos deixar que acabem com a paz da Ilha do Governador. Serão mais de 30 caminhões circulando todos os dias durante a madrugada.

Terminal pesqueiro NÃO!

Um comentário:

  1. Esse terminal pesqueiro não é desejado pela população da Ilha do Governador. Só trará poluição, engarrafamento e colocará em risco o tráfego aéreo, já que o local escolhido é rota de aviões do Galeão e Santos Dumont. As ruas estreiras e sinuosas não comportam este tipo de megaprojeto. Ademais, o bairro é residencial, não se pode imaginar uma atividade desse porte vizinho a diversas residências. Há casas literalmente coladas ao local do empreendimento. Não bastasse, a quantidade de empregos é mentirosa. Na audiência públicia, o Sr. Jaime Tavares retratou-se dizendo que os dez mil empregos outrora prometidos, na verdade, não passam de 300.  Por outro lado, não haverá venda de peixes à varejo. A população não comprará peixe no local. O que a população da Ilha ganha com isso????

    ResponderExcluir