sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Catecismo dos Biriteiros

O pai do Léo e do Carcará, Luiz Carlos, já escreveu mais de 80 livros, muitos deles de humor. Morador da Ilha do Governador, fez muito sucesso com a criação de guias que eram publicados pela Abril, como o Guia do Corno, Guia do Bêbado, do Veado e muitos outros. Hoje ele administra sua própria editora.

Ele me enviou um de seus livros, Catecismo dos Biriteiros, que conta as origens da biritação, mostra os tipos de bebuns, hierarquia, faz considerações sobre o bafo, categorias de estabelecimentos onde se pode tomar um porre entre outras coisas. Simplesmente excelente.

Como ele me autorizou a fazer o que eu quiser, toda sexta-feira (assim espero) vou publicar um trecho do livro. Espero que vocês gostem e aproveitem o final de semana.

Como identificar um bebum

Tem gente que por falta de cultura etílica pensa que todo bêbado é igual. Mas não é bem assim que a banda toca. Tem bêbado para todos os gostos e desgostos. De forma científica, podemos classificá-los, inicialmente, em dois grandes grupos: os eventuais e os contumazes. 

Os eventuais

São aqueles que costumam encher os cornos nos dias de eventos clássicos como Natal, Ano-novo, Carnaval (incluindo a quarta-feira de cinzas, é claro), Dia dos Pais, Dia das Mães, Dia do Índio, Dia da Bandeira, Dia do Fico (quando ele decide ficar no boteco o dia inteiro), Dia da Árvore, Dia de São Jorge, Dia de Reis (se tiver “Dia de Príncipes”, também bebe), Dia de Tiradentes, Dia de Finados, Domingo de Páscoa, Sexta-feira Santa, Sábado de Aleluia, e em outras datas igualmente importantes como as que comemoram a Queda da Bastilha, o Levantamento da Bastilha, a vitória de Xerxes sobre os trezentos babacas de Leônidas, a Derrota de Napoleão em Waterloo, a Invenção do Pisca-pisca, a Descoberta do Caminho Marítimo para as Índias, o aniversário do sobrinho de Teotônio que quando nasceu todo mundo dizia que era “homem" e acabou virando mariquinha, e, por fim, os dias de São João da Barra, Santo Argemiro da Lapa, Santa Carminha de Bacaxá, São Grelão de Lesbos (padroeiro dos sapatões) e o dia em que se comemora mundialmente a invenção daquela pulseirinha de cobre que o aposentado usa pensando que evita o infarto.

Luiz Carlos Martins

Próxima sexta, conheça o bebum contumaz.

Beijo no lombo, Izidoro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário