quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Transporte público na Ilha do Governador

Há alguns anos o RJTV realizou uma enquete em todos os bairros da cidade para que seus moradores escolhessem o melhor e o pior de cada localidade. Até hoje não sei porque os cidadãos da Ilha do Governador elencaram o transporte como o melhor do bairro. Minha perplexidade vem dos seguintes pontos:

A Ilha do Governador só tem uma saída e uma entrada. Se um gato mijar num poste na Estrada do Galeão, o bairro para, não tem para onde ir.

O duopólio no transporte nos ônibus. A Paranapuã é um exemplo de total desrespeito ao cidadão, oferecendo veículo de péssima qualidade e em poucos horários. Já peguei o 910 onde era impossível conversar tamanho o barulho que aquela banheira fazia, sem falar na tremedeira que obrigava os passageiros a se segurarem com força para não caírem. Também já viajei 322 em dia de chuva, com tantas goteiras que poucas pessoas conseguiram um lugar seco para sentar. A Ideal é um pouco melhor, está dentro do padrão dos outros bairros.

Hoje fui para o ponto final no Castelo e fiquei quase uma hora esperando o frescão. Desisti e peguei a barca. As pessoas na fila já estavam perdendo a paciência, reclamando uns com os outros e com o fiscal. O fiscal, coitado, não tem nada a ver com isso, não merece ficar ouvindo desaforo. O problema está no filho da puta do dono da Paranapuã. Nem se a mãe dele dependesse da merda do transporte que ele oferece esse cidadão faria alguma coisa.

A história da humanidade é cheia de história de povos reprimidos que tomaram a rédea da situação e conseguiram grandes avanços para seus pares. Fim de ditaduras absolutistas, a queda da Bastília, fim de regimes escravagistas entre outros casos. Diante disso, sugiro aqui como o problema de transporte na Ilha (ou qualquer outro problema em qualquer outro lugar) pode ser solucionado.

1º passo: Reclame com a empresa. Obviamente não vai adiantar nada, os empresários conhecem muito bem a situação.

2º passo: Já que reclamar com a empresa não resolveu, procure o órgão público competente. Trabalhei numa empresa no Centro e todo dia pegava o mesmo ônibus, mas o ar condicionado não funcionava. Nunca funcionou, em pleno verão. Vez por outra ocorria um início de motim entre os passageiros, reclamações e ameaças, mas ficava nisso. Diante disso, mandei um e-mail para ouvidoria da prefeitura relatando o caso. Impressionantemente me responderam dias depois, informando que uma vistoria tinha sido feita e que nenhum problema foi constatado, mas claro, eu continua pegando o mesmo ônibus e o ar continuava sem funcionar. Das duas uma: ou não fizeram vistoria e me mandaram uma resposta qualquer ou os funcionários da prefeitura estão no bolso das empresas de ônibus. Nem vou me dar ao trabalho de perguntar o que você acha.

As empresas de ônibus são os maiores contribuintes nas campanhas municipais, por isso essa zona no Rio. Nada de incentivar o uso de bicicletas, o transporte marítimo ou integrações decentes. Todas as políticas públicas de transporte devem levar em conta primeiramente os lucros astronômicos das empresas.

3º passo: Já que o primeiro e segundo passos não funcionaram, queimem um ônibus por dia até que a situação se resolva. E acredite, vai resolver. A parte mais sensível do corpo humano é o bolso.

Existe uma história verídica, até virou filme, ocorrida nos Estados Unidos que mostra como os negros daquele país resolveram um grande problema nos transportes. Não lembro os personagens nem o ano aproximado, mas a história é a seguinte: os negros não podiam entrar pela frente nos ônibus. Entravam, pagavam, desciam e subiam pela porta de trás. Além disso, tinham que ceder o lugar toda vez que um branco não tinha onde sentar. Diante de tal humilhação, todos os negros resolveram simplesmente não andar mais de ônibus. Os empresários, sentindo no bolso o resultado do protesto, mudaram as regras e concederam os mesmos privilégios a todos os passageiros, brancos ou negros.

É claro que você não vai voltar do Centro para Ilha do Governador andando, mas ao destruir um ônibus por dia o efeito vai ser o mesmo.

Um comentário: