domingo, 2 de agosto de 2009

Dicas de português

Escrevo muita coisa errada aqui no Ilhados, e minha digníssima vive me dando esporro por causa disso. Confesso que sou relapso, não reviso e muito menos confiro palavras que tenho dúvidas sobre sua correta grafia. É claro que isso é ruim e preciso melhorar.

Por isso, resolvi pesquisar algumas das minhas principais dúvidas e divido aqui, com vocês.

Porque, por que, por quê e porquê (fonte)

Por que

Quando significa ou pode ser substituído por “por qual razão”, “por qual motivo”, “pelo qual”, “pela qual”, “pelos quais” ou “pelas quais”.

Exemplos:
Por que você não vai ao cinema? (por qual razão)
Não sei por que não quero ir. (por qual motivo)
Sei bem por que motivo permaneci neste lugar. (pelo qual)

Por quê

Quando vier no final de uma frase.

Exemplos:
Vocês não comeram tudo? Por quê?
Andar cinco quilômetros, por quê? Vamos de carro.

Porque

Quando indica causa, explicação ou finalidade. Pode ser substituído por “já que”, “pois”, “a fim de que” ou “uma vez que”.

Exemplos:
Não fui ao cinema porque tenho que estudar para a prova. (pois)
Não vá fazer intrigas porque prejudicará você mesmo. (uma vez que)

Porquê

Vem acompanhado de artigo (o, a), pronome adjetivo (meu, este, aquele, quantos etc) ou numeral.

Exemplos:
O porquê de não estar conversando é porque quero estar concentrada. (motivo)
Diga-me um porquê para não fazer o que devo. (uma razão)

Cujo (fonte)

O "cujo" e suas variantes - cujos, cuja, cujas - são pronomes relativos que indicam uma relação de posse.

Ou seja: é feio dizer "O carro que o dono é zangado". O correto, bonito é dizer "O carro cujo dono é zangado".

Mas o mais importante, mesmo, é não colocar artigo após o "cujo".
"Cujo o", "cuja a" e "cujos os"... isso não existe.

O certo é dizer "A mulher cujo namorado é bonito", "O homem cuja pasta é marrom", "As mulheres cujas pernas são torneadas". Sem os artigos.

Pago/pagado, pegar/pegado, imprimido/ impresso e outros (fonte)

Alguns verbos, como "pagar", possuem dois particípios: um regular, e outro irregular.
No caso de "pagar", o regular é "pagado", e o irregular é "pago".

Quando isso acontece, o correto é usar a forma REGULAR com os verbos TER e HAVER.
E a forma IRREGULAR, com os verbos SER e ESTAR.

Ou seja:
Eu devia ter pagado isso (verbo ter --> forma regular).
Ele havia pagado o boleto. (verbo haver --> forma regular).
O boleto foi pago (verbo ser --> forma irregular).
A conta está paga desde ontem (verbo ser --> forma irregular).

O mesmo acontece com pegar (pegado/pego), acender (acendido/aceso), imprimir (imprimido/impresso), eleger (elegido/eleito), soltar (soltado/solto), etc, etc, etc.

Vírgula antes do “e” (fonte)

Aquela coisa de que "É proibido o uso da vírgula antes da conjunção E" é uma grande bobagem. A vírgula pode ser usada, sim, mas somente nos seguintes casos:

1) Quando o sujeito mudar durante a frase:

Exemplos:
"Eu amo feijão, e minha mãe gosta de carne."
"Minha cunhada entrou na sala, e começou a chover."

Perceberam a confusão se não tivesse a vírgula?

2) Quando algum aposto ou adjunto adverbial interromper a frase e precisar ficar entre vírgulas.

Exemplos:
O menino chegou tarde, já que havia trabalhado muito, e dormiu.
A minha mãe, que é católica, e o meu pai, que não é, foram à igreja.

3) No caso de repetição frequente do "e", constituindo a seguinte figura de linguagem:

Exemplo:
"Eu dançava, e pulava, e cantava, e então parei e fui dormir.

É isso. Nesses casos, use vírgula sim. E em todos os outros casos, não use a temida vírgula antes de "e".

Onde e aonde (fonte)

As palavras "onde" e "aonde" têm usos diferentes e específicos. É bom ficar atento.

Em primeiro lugar, "onde" deve ser utilizado somente com significado de "lugar". Ou seja, é correto dizer "Esta é a casa onde morei", mas NÃO é correto dizer "Esta é a hora onde eu entro".

Já a outra palavrinha, "aonde", significa a combinação da "a" + "onde". Logo, somente deve ser utilizada quando cabe preposição:

É o caso de "Eu vou aonde me convém". Aqui, o uso é correto.
Por outro lado, dizer "Esta é a casa aonde morei" está errado gramaticalmente.

2 comentários:

  1. Mandou bem, prof. Pasqualini !  

    A digníssima tá sempre te enchendo..dá umas tapas nessa fera branca ! agora, então, deve tá se achando depois do jornal de hj...

    VLW ! !

    ResponderExcluir
  2. De fato dou uns tapas vez por outra.

    Abraços.

    ResponderExcluir