sexta-feira, 30 de julho de 2010

Big Brother e televisão em ônibus

O Grande Irmão, ou Big Brother, é a figura que representa o Estado no famoso romance 1984, de George Orwell. Todas as pessoas são vigiadas pela teletela, uma espécie de televisor que tanto transmite quanto captura sons e imagens daqueles que estão a sua frente. A teletela está presente em quase todos os lugares, nas casas, nos locais de trabalho e ruas, sempre observando a população e pronta para enviar policiais para reprimir casos suspeitos de comportamentos contra o sistema.

O programa Big Brother teve seu nome baseado neste romance, já que seus participantes são observados durante 24 horas, tal qual os cidadãos do livro de Orwell. Se você gostou da história, recomendo a leitura. A Submarino está com preços ótimos. Ou assista o filme.


Ultimamente é assim que também tenho me sentido. Aparelhos de televisão estão em quase toda parte. Não vou mentir e escrever aqui que não assisto, mas tudo tem sem momento, e nada tem me deixado mais puto da vida do que os frescões da Ideal Castelo x Ribeira. Alguns carros estão com aparelhos que ficam ligados com volume insuportável. Um dia fui pedir para o motorista desligar ou baixar o volume, já que queria ler, e ele disse que não podia fazer nada, já que os outros passageiros queriam ver a novela.

No dia seguinte liguei para a empresa para reclamar, liguei para a Fetranspor e fiz uma reclamação na ouvidoria da prefeitura. Enviei um e-mail para o Ilha Notícias e também perguntei ao meu vereador se havia alguma lei que proibisse barulho nos coletivos, tal qual existe em São Paulo. Infelizmente no Rio não existe legislação semelhante.

Se você também se sente incomodado com mais esse abuso ao qual somos obrigados a passar, reclame! Anote aí os contatos para reclamações:

Ideal: 0800.886.1000 
Fetranspor: visite o site e preencha o formulário. Ou fale com um atendente pelo chat virtual. Em poucos dias a viação responderá por e-mail.
Ouvidoria de prefeitura: visite o site preencha o formulário. Alguns dias depois faça uma consulta com o número do protocolo e ligue para o número fornecido, para maiores informações sobre a reclamação.

Mas uma coisa contou a meu favor. Esqueci que a Ideal é uma empresa carioca e, antes disso, uma empresa da Ilha do Governador. Os aparelhos começaram a dar problema e pararam de funcionar, e como a empresa não fazem a manutenção de coisas mais importantes nos ônibus, as televisões também seriam tratadas com o mesmo descaso. Aos poucos estamos nos livrando deste mal.

Uma solução ideal (perceberam o trocadilho?) seria a instalação daquelas televisões com publicidade e notícias só com imagens e texto, sem som, comum em outras viações da cidade e em elevadores. A empresa que faz a instalação dos aparelhos também são responsáveis pela manutenção e, se não me engano, ainda gera uma pequena receita para os donos dos veículos.

Um comentário: