sexta-feira, 12 de maio de 2017

Ação da Cidadania sob ataque da Prefeitura do Rio

Betinho
Quem tem mais de trinta anos provavelmente se lembra do sociólogo Herbert de Souza, o Betinho. Criador do Natal Sem Fome, arrecadou milhares de toneladas de alimentos que foram distribuídos a famílias em situação de risco alimentar em todo o Brasil.

A campanha tinha como objetivo denunciar a falta de políticas públicas, e foi vitoriosa ao colocar a fome com o principal inimigo a ser combatido no país.

A campanha foi vitoriosa, a partir dela foram criados o Bolsa Família e o Fome Zero, além dos restaurantes populares, o que tirou o Brasil do Mapa da Fome da ONU em 2014.

Desde 2010, a Ação da Cidadania ocupa um galpão na Região Portuária do Rio, que estava abandonado. Com muito esforço, a entidade conseguiu captar o equivalente a quinze milhões de reais, em valores atuais, para restaurar o galpão construído pelo primeiro engenheiro negro do Brasil, André Rebouças. 

Agora a prefeitura quer despejar a Ação da Cidadania para construir o Museu da Escravidão. A Ação também quer o museu, e já tem este objetivo há muito tempo, mas a secretária de cultura não quis nenhum diálogo para construção de uma parceria.


Lembrando que diversos espaços culturais da prefeitura estão sem receber repasses e o município está a beira de um colapso financeiro. Como ela pretende manter mais um museu?


Novamente a Ação vem pedir a ajuda de toda a população, assinando e divulgando uma petição na qual solicita a Prefeitura do Rio, o Iphan, e o Governo Federal e permanência e cessão definitiva do espaço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário