segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Rei do Bolinho de Bacalhau

Com certeza este é o botequim mais famoso da Ilha do Governador. Figurinha carimbada no Guia de Restaurantes da famosa (quem?) Danuzia Bárbara desde 94, já foi visitado por personalidades como Zeca Pagodinho e o prefeito César Maia.

Também figura na 7ª Edição do Rio Botequim, publicação que destaca os melhores botequins do Rio e suas especialidades. Este livro é obrigatório para qualquer um que aprecia uma boa comida.
E não é só isso: Olivier Anquier também já gravou seu programa da GNT, Diário de Olivier, neste simpático botequim.

Espero que este currículo resumido tenha despertado em você a vontade de visitar esta simpática adega.

O cardápio é muito vasto, bolinho de bacalhau, batata frita e pastel, além de chope e de uma simples carta de vinhos. Tenha um pouco de bom senso e não peça batata frita, que até agora não entendi porque este aperitivo consta no menu.

Mas o que faz este bolinho ser tão famoso? A primeira resposta é o bacalhau. O seu Sebastião Peres, proprietário e cozinheiro do estabelecimento, é sócio do Clube do Bacalhau, associação com membros seletos que garante a origem norueguesa desta famosa iguaria. Bacalhau não é um peixe, é um processo de salga criado em Portugal, e, apesar do nome ser Do Porto, a origem dos peixes é a Noruega. São 5 as variedades de peixes chamadas de bacalhau. (Muitos lugares fazem seus bolinhos com o Saithe, que dizem também ser bacalhau, mas eu discordo.)

Segundo: seu Sebastião prepara os bolinhos à moda portuguesa, usando duas colheres e sem contato manual, que é um espetáculo a parte. No meio do bar, a vista dos fregueses, ele prepara todos os bolinhos, que são fritos na hora.


Seu Sebastião, preparando os bolinhos, mas sem bigode
Terceiro: a batata HBT. Esta é a batata recomendada para se fazer os melhores bolinhos e também nhoque. Na sua ausência, utiliza-se a Asterix, que tem coloração roxa e é mais fácil de achar. Nunca vi esta batata para vender. Já estou até duvidando da sua existência. Ela é igual a cabeça de bacalhau: todo mundo sabe que existe mas ninguém nunca viu. Mistério.
Depois de fazer algumas anotações e pedir para fotografar, ele imediatamente mandou o garçom me entregar um panfleto, com mapa, preços e receita do bolinho.
Realmente é O bolinho de bacalhau, com muito pouca batata. Confesso que até senti falta. Dica: depois de morder o petisco pela metade, utilize o bico da garrafa de azeite para fazer um orifício na metade que sobrou, tipo um copinho, e encha com azeite. Delícia! Não esqueça de limpar o bico da garrafa depois.
A porção com 1o unidades custa R$15,00. Avenida Paranapuã 1.371, Tauá. Em frente ao Mundial. 3363-3083.

2 comentários:

  1. JA FALIU ESTE  EUM AVENTUREIRO FOI PRESO POR NÃO PAGAR PENÇÃO ALIMENTICIA DEU CALOTE NA PERESCODFIS E LADRÃO DE INFORMAÇAO E ESTELEONATARIO TEM POLICIA   ATRAS  DELE

    ResponderExcluir
  2. melhor bolinho da ilha!esse ignorante não sabe nem o básico da língua portuguesa.

    ResponderExcluir