sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Aline na TV

Se pudesse escolher uma profissão, seria cartunista. Acho muito mais incrível aqueles que contam histórias em três quadrinhos do que num romance de 500 páginas. Enfim, o fato é que há uns dois anos comprei um livro da Aline, personagem de Adão Iturrusgarai, que também criou o casal cowboy gay Rocky e Hudson, muito antes de Brokeback montain.

A Aline é uma pervertida, possui dois primos com quem protagoniza cenas de sexo explícito impróprias para menores e, como você pode imaginar, não são publicadas nos jornais e nem em seu site. Infelizmente o livro está na casa da minha digníssima e por isso não posso escanear uma tira para colocar aqui.

A Globo está levando a personagem para a TV e quem eles escolheram para interpretar a Aline? Maria Flor. Brincadeira, a Aline é uma putona e Maria Flor é um docinho, não tem nada parecido com a devassa adolescente do Adão. Um de seus primos será vivido pelo Caio Blat. Aí tudo bem, o cara é bom e já fez papéis pesados, como no filme Baixio das Bestas, em que faz um papel de um playboy que estupra uma garota.

A Globo perdeu uma excelente oportunidade de buscar uma atriz no mercado com a cara da Aline, como fez a HBO com a Alice.

Estou curioso como vai ficar essa série. Tenho a impressão que vai ser uma merda, mas vamos ver.

Abraços, Izidoro*.

* Izidoro não é a Patrícia Kogut mas também dá pitacos sobre a teledramaturgia tupiniquim.

Atualização:

- Não era o Caio Blat um dos namorados da Aline.
- Não assisti e estou quase assinado a Globo Vídeos só por conta desse capítulo. Aliás, alguém tem um login para me emprestar?

Veja um pedaço do programa:

2 comentários:

  1. Você tem toda autoridade pra dar pitacos, pois é só isso que a Patrícia Kogut faz. As críticas dela não têm fundamento nenhum, aliás, como qualquer crítica sobre televisão feita no Brasil. É uma vergonha que um país que tem as telenovelas como um importantíssimo produto de exportação não tenha nenhuma crítica especializada no assunto. Ao contrário do cinema e da literatura, a televisão nunca foi considerada cultura muito menos arte. E, se depender da Patrícia Kogut, nunca vai ser. Nota 10 e Nota 0? Puro achismo, amigo!

    ResponderExcluir
  2. Concordo que a tv nunca foi considerada arte, mas também, com a qualidade da nossa televisão. Vez por outra aparecem trabalhos belíssimos, mas a maior parte é entretenimento para a massa. Confesso que desconheço as críticas da Patrícia, nunca li, mas sei que ela é uma pessoa odiada ou amada, sem meios termos.

    Beijos.

    ResponderExcluir