sábado, 27 de dezembro de 2008

Reforma ortográfica

Uma coisa que sempre me mostrou o quanto uma pessoa é velha é observar como ela escreve. Não sei quando foi a última reforma ortográfica, mas sei que foi antes d’eu nascer, por isso, quando alguém escreve “nôvo", com acento circunflexo, nova ela não é.

Ultimamente tenho percebido alguns sintomas de velhice em minha pessoa. Uma barriga que eu acreditava que nunca iria aparecer, amigos casando e tendo filhos, cansaço, minha força diminuindo, essas coisas. Estou mais perto dos 30 do que dos 20, mas isso não me assusta, apesar de que nos meus encontros com meus amigos nós fiquemos mais tempo lembrando experiências passadas do que vivendo novas experiências.

O que quero abordar nesse texto é que estamos passando por mais uma reforma ortográfica. Até não sei quando (2010, eu acho), todos os livros e todas as escolas deverão ensinar o português unificado. Não sei o que vai mudar e quero que se foda. Continuarei escrevendo da forma antiga, tal qual minha mãe continua escrevendo do jeito como ela aprendeu.

Diferentemente das outras reformas, agora temos uma ferramenta chamada Microsoft Word e seu maravilhoso corretor ortográfico, e é essa ferramenta que vai ditar se essa mudança vai pegar ou não, afinal de contas, quem não se irrita quando aparece aquela linha vermelha embaixo de uma palavra?

Abraços, Izi.

2 comentários:

  1. Ah, vc quer que se foda? Eu não posso querer isso, amigo.. Vou ter de me adaptar... Mas digo alguma coisa, aqui em Portugal, eles estão cagando pro acordo. Literalmente.

    ResponderExcluir
  2. Você é jornalista, não tem jeito, vai ter que aprender. Talvez eu tenha que me adaptar também, nunca se sabe.

    Beijos.

    ResponderExcluir