domingo, 5 de abril de 2009

Mamma Mia

Há alguns anos as únicas opções nos quiosques da Praia da Bica eram sanduíches e cachorros quentes. Todos os quiosques seguiam o mesmo modelo: nenhuma decoração, mesmo cardápio e preços parecidos. O Dr. Sax sempre foi o único a oferecer um serviço diferenciado.

Hoje em dia já é possível sentar e comer bem na Praia da Bica. Temos o Shimaki (comida japonesa) e o Mexe México (comida mexicana). Recentemente inaugurou o Mamma Mia, especializado em comida italiana, ou como eles dizem, cucina italiana.

Ontem, depois de sair do teatro com minha digníssima, fomos lá jantar e a experiência foi muito agradável. Fomos sem pretensão e saímos surpresos com a qualidade da comida e do atendimento.

O cheff é italiano, está há quatro meses no Brasil e já trabalhava com cozinha na Itália. Só por aí já dá para perceber que o negócio é sério. Ele é casado com uma brasileira que depois de 20 anos resolveu aportar novamente em terras tupiniquins e juntos abriram esse quiosque na Praia da Bica. Os dois ainda conversam em italiano, o que dá um charme especial.




Geralmente, quando um restaurante de cozinha estrangeira abre em algum lugar, os pratos são adaptados aos gostos locais. Como o cheff do Mamma Mia está há pouco tempo por aqui, agora é um excelente momento para experimentar uma legítima comida italiana, enquanto essas adaptações ainda não foram implementadas.

No cardápio você pode pedir pizza rossa (vermelha) ou bianca (com molho branco no lugar do de tomate). Os ingredientes são bem variados, com sabores que incluem alcachofra, sálvia, aspargos e salame picante. São pizzas bem diferentes do que estamos acostumados a ver por aí. Não preciso dizer que a massa é de fabricação própria.

Além de pizzas, calzonis, bruschettas, crepes doces e salgados, diversos tipos de macarrões podem ser pedidos. O cardápio está em italiano, qualquer dúvida é preciso perguntar à hoster da casa (esposa do italiano, a simpatia em forma de pessoa).

Como entrada, pedimos uma bruschetta pomodoro, com azeite (muito azeite), tomate, orégano e raspas de alho. Sem palavras, simplesmente espetacular. O pão é fabricação própria e a porção vem com quatro fatias bem generosas. E custou apenas seis reais. Realmente foi uma pena não estar com a máquina para fotografar o prato, que tem uma apresentação ótima.

Exemplo de bruschetta

A bruschetta é um antepasto, ou seja, uma entrada, um prato que deve ser comido antes da massa (por isso o nome antepasto). É uma fatia de pão italiano tostado com azeite e esfregado com alho.

Como prato principal, levando em consideração os preços das massas (entre 15 e 22 reais), eu pedi um espaguete à carbonara (com ovo e bacon) e minha digníssima um à putanesca (com beringela). A hoster nos informou que uma porção dava para dois, então escolhemos o carbonara. Ela mentiu, uma porção não dá para dois, dá para quatro. É uma travessa com muito macarrão, exagero típico italiano. Nós não conseguimos comer nem um terço da travessa.

Estava muito gostoso, apesar de não ser o melhor espaguete à carbonara que comi. O tempero leva um ingrediente que dá um certo amargor no sabor, que, na minha opinião, ficaria melhor sem. Deve ser algo típico da Itália, não sei.

O chope da Itaipava não é a especialidade da casa, mas neste caso isso é o de menos.

Agora vamos aos pontos negativos. No outro lado do cardápio existem opções como hambúrgueres, cachorros quentes, bolinhos de bacalhau, filé aperitivo, peixes, camarões e até açaí. Completamente desnecessário, essa combinação atrapalha no posicionamento da marca (para saber mais sobre posicionamento, leia o artigo Marketing para Bares e Restaurantes, que escrevi há pouco). O Mamma Mia deve se tornar referência em comida italiana na Ilha do Governador, e um cardápio variado desse só atrapalha. Se eles querem funcionar também durante o dia, tentando atingir um público mais saudável, que pratica esportes e caminha pela praia, eles devem fazer isso de uma forma italiana, e não vendendo açaí.

Se querem atingir um público mais jovem, oferecendo sanduíches, não faça. Um casal que senta para jantar e beber um vinho não quer compartilhar um ambiente com jovens fazendo algazarra. Além dessa diferença de público, os mais jovens consomem pouco, ocupando uma mesa que poderia estar atendendo pessoas que queiram jantar e, conseqüentemente, gastar mais. Podem até oferecer sanduíches, mas sanduíches típicos da Itália, com pães e embutidos específicos, também famosos por lá.

Além dos problemas já citados (dificuldade em criar um posicionamento na mente do consumidor e atrair públicos diferentes), essa variação no cardápio também é custo. Isso aumenta o valor do estoque e estoque é dinheiro, que poderia ser usado para focar a cozinha italiana.

Outro aspecto a citar é a decoração. O Shimaki tem um ambiente introspectivo, com luz baixa. O Mexe México é mais quente, com muita luz e cores, característicos da alegria mexicana. O Mamma Mia está entre os dois, atrapalhando, mais uma vez, o posicionamento. Sugiro uma luz mais fraca, indireta e velas nas mesas, criando um ambiente bem romântico, como os vistos na televisão, atraindo um público com maior poder aquisitivo.

Também não tem sobremesa. Adoraria conhecer um bom doce italiano.

O jantar (porção de brusqueta, espaguete à carbonara e quatro chopes) saiu pela bagatela de R$37,00. Quatro pessoas comeriam bem com o que foi pedido, talvez fosse necessário apenas mais uma entrada. Quando como no Sushiro pago entre 40 e 50 reais e não saio tão satisfeito quanto no Mamma Mia. Ou seja, uma opção gastroeconômica de alto custo x benefício. Virei fã.

Poderia ter um café italiano para finalizar, aquele em que a água ferve, passa pelo pó de café e condensa na xícara. Ou um espresso mesmo.

Serviço
Mamma Mia – cucina italiana
Praia da Bica – assim que pegar o telefone eu coloco aqui.
Pizzas brancas e vermelhas: entre R$6 e R$24
Calzonis: entre R$14 e R$16
Massas: entre R$15 e R$22
Crepes doces e salgados: entre R$7,50 e R$10

Um comentário: