segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Rádio Intertop

Estou lendo o livro Dosiê Gabeira, uma entrevista com o dito cujo que conta coisas até então mantidas em segredo. O que ele já passou e fez é impressionante, me deixou pensando sobre o que venho fazendo da minha vida: nada.

Meus amigos também estão construindo grandes coisas, todos eles possuem algum talento: minha digníssima é uma excelente atriz, o Rodrigo é uma enciclopédia musical e toca muito sua guitarra, Stefania canta maravilhosamente bem e sabe tudo sobre operação de áudio, o Júnior tem talento para fotografia, Carcará para pintura e ilustração, Léo para poesia, o Beto... bem, o Beto não serve para porra nenhuma, mas tem bom coração. Ele e eu somos os únicos imprestáveis e sem perspectiva.

O Gribel, garoto tijucano, é um empreendedor nato. Se não virar diretor da Globo Sat, um dia será dono do seu próprio conglomerado de comunicação. E já começou com uma web rádio, a Intertop.

Eu estava até pensando em fazer faculdade de jornalismo para depois mandar meu currículo para ele, mas, assim como o Beto, diploma de jornalismo não serve nem para limpar a bunda. Pelo menos a minha, que tem muitos pelos e exige uma grande quantidade de folhas. Dizem as más línguas que minha bunda fica em terceiro lugar no ranking dos maiores responsáveis pelo efeito estufa, visto a quantidade de árvores que são cortadas para produzir o papel necessário para limpeza. Povinho maledicente.

Para fazer uma higienização decente eu teria que fazer mais duas faculdades igualmente imprestáveis para utilizar seus diplomas, alguma coisa como belas artes ou qualquer curso da Estácio de Sá.

O fato é que meus leitores podem ouvir a Intertop diretamente no Ilhados, clicando no play no tocador que fica na barra lateral deste blog, no alto da página.

O grande barato é o programa que o próprio Gribel faz com o Júnior. Não, caro leitor. O Gribel não faz esse tipo de programa que sua mente libidinosa está pensando. Estou falando do Safadasso. Todo sábado, das 22 às 0h. É ao vivo e pode ser acompanhado em vídeo, e o ouvinte pode também participar via Skype ou no chat.

Este sábado ele receberá a capa da Playboy Juliana Alves, que ficou nua / sem roupa / pelada para um fotógrafo sortudo. É claro que vou tentar participar, levando perguntas um tanto quanto... deixa pra lá.

Até sábado.

* O Beto, ao contrário do que foi noticiado aqui, sabe tudo sobre literatura e mente como ninguém. O problema é que só ele acredita nas mentiras. Isso faz de mim o único imprestável do grupo.

3 comentários:

  1. Sinceramente, eu acho que você seria um ótimo jornalista porque tem senso crítico de sobra. É o que falta por aí... Também acho que você ia adorar o curso de Jornalismo, embora não canse de dizer que o diploma não serve para nada. Rs. Não posso dizer que você não tem razão, mas acho que, na prática, não muda muito a situação dos jornalistas. Aqui em Portugal o diploma também não é obrigatório e a situação é quase igual a nossa no Brasil.

    Acho que você tem o dom de comunicar, caso contrário não teria dois blogs e não estaria sempre antenado com o que acontece no mundo. Também daria um bom humorista :P

    Beijinhos saudosos!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, Bruna. 

    Fiquei até emocionado com suas palavras, ainda mais vindas de você. Pessoa mais qualificada para falar sobre jornalismo eu não conheço.

    Muita coisa que falo aqui é pura bravata, só para fazer graça. Essa história de eu falar que diploma de jornalismo não serve para nada é só piada, claro que tem seu valor.

    Beijos e abraços, também saudosos.

    ResponderExcluir
  3. Bem, tudo o que eu disse eu penso realmente... É impressionante como todas as pessoas neste grupo de amigos tem algum talento. Somos privilegiados!
    Ah, e eu nunca te vi no palco, mas o Alexandre sempre me disse que você era o melhor!
    Bj.

    ResponderExcluir