quarta-feira, 23 de junho de 2010

ECAD: Basta!

Amigos,

Está na hora de dizermos basta aos abusos do ECAD, instituição que atrasa o acesso aos bens culturais pelo cidadão brasileiro. Iríamos fazer uma sessão gratuita de cinema, com autorização dos donos dos direitos do filme (que já pagou por todas as músicas utilizadas) e fomos cobrados pelo ECAD e impedidos de realizar a exibição.

Por favor, encaminhe essa mensgame para seus contatos e vamos fazer com que todos conheçam a REFORMA DA LEI DE DIREITOS AUTORAIS.

Entramos na briga. Saiba mais:
http://www.culturadigital.org.br/site/lda

Segue carta de João Guerreiro, coordenador do Centro Cultural Ação da Cidadania.

Abraços.

#ecad


Prezada(o)s,

É com enorme desgosto que estamos cancelando o lançamento do Cineclube Ação da Cidadania. Na verdade, tratava-se do lançamento no novo formato visto que fomos contemplados, através de Edital Público, no Projeto Cine Mais Cultura do Ministério da Cultura, com o kit Telão, Projetor, Caixa e Mesa de Som, e filmes disponibilizados pela Programadora Brasil ("um programa da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, desenvolvido por meio da Cinemateca Brasileira e do Centro Técnico do Audiovisual (CTAv)").

Trata-se, portanto, de um projeto de convergência entre políticas públicas de formação e disponibilização obras NACIONAIS para formação de público crítico e que permite a difusão de culturas diversificas ladeado com segmentos da sociedade civil que tem o mesmo objetivo - caso da Ação da Cidadania.
Entretanto, fomos surpreendidos hoje pela manhã, com um telefonema do ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição, uma sociedade civil, de natureza privada) informando que seria cobrado uma taxa de direitos autorais pela exibição. A exibição seria gratuita, o público alunos das escolas públicas da rede municipal do entorno do Centro Cultural Ação da Cidadania e jovens do Morro da Providência. A exibição seria feita por dois voluntários da Ação da Cidadania, o espaço (reformado para o Cine Mais Cultura com recursos de nossa entidade) e a eletricidade seriam nossa contrapartida. Nada disso comoveu o ECAD.

Assim, tivemos, dolorosamente, que cancelar o Cineclube, nos desculparmos com a Profª. Adriana Faccina e com o MC Leo (debatedores que viriam com seus próprios recursos ao CCAC) e pedir desculpas às crianças e aos jovens do Morro da Providência.

Gostaríamos, também, de nos desculparmos com você que por ventura esteja à caminho.

O que faremos daqui para frente? Ainda não sabemos. Esperamos apenas que exista bom senso entre o legal e o justo. Pois, entre os dois estamos, como sempre estivemos, com os milhões de
excluídos socioculturais deste imenso Brasil.

João Guerreiro
Coordenador de Ações Culturais

Nenhum comentário:

Postar um comentário