sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Debret, feiras, bicicletas e cachorros

Ontem minha futura afilhada me apresentou sua boneca, Sofia. Perguntei se sabia o significado da palavra e prontamente ela respondeu: inteligência. Corrigi, disse que na verdade queria dizer sabedoria. Obviamente que ela quiz saber a diferença entre inteligência e sabedoria. Pensei um pouco, enrolei bastante e não respondi, mas fiquei com isso na cabeça.

Seria fácil demais procurar no Google, mas gostei de alimentar esta curiosidade e tentar achar sozinho a solução. Tirando as explicações óbvias, pude vivenciar o que é sabedoria. Minha baiana favorita, a Ciça, mais uma vez se mostrou uma pessoa extremamente sábia ao me dar conselhos para este momento da vida no qual me encontro. Mesmo com um conhecimento superficial do problema que me aflingia, ouvi palavras que, se não me confortaram, estimularam minha reflexão e me ajudaram a superar mais uma fase deste longo e contínuo caminho que é a busca da felicidade.

A Ciça é uma mulher muito sábia, e fico muito feliz em poder contar com suas palavras. Além de fornecer alimento para meu corpo com seus acarajés perfeitos, me alimenta com seus simples conselhos e me transporta para um Rio de Janeiro que não existe mais. Esta cidade tem dessas coisas, quando páro no Arco do Teles para comer me sinto numa pintura de Debret.



Consigo me enxergar ali em cima, na atual Praça XV, antigo Largo do Paço, ao lado dos Arcos, comendo um dos quitutes vendidos por negras de ganho tal qual nas pinturas do início do século XIX.

Depois de um curto período de agitação, minha vida volta a entrar em velocidade de cruzeiro e hábitos prazerosos temporariamente deixados de lado aos poucos voltam para minha rotina, levemente modificados. O passeio descompromissado na feira, o pastel com caldo de cana, as amenidades trocadas com feirantes e os legumes frescos (em menor quantidade, mas igualmente gostosos). As flores presas na bicicleta agora terão outro destino, mas voltarão a alegrar meus dias com sua presença na mesa.

Ainda cultivando hábitos saudáveis, criarei outra horta, mas que desta vez terá tomatinhos. Sei que serão semanas de atenção, água e sol para uma safra suficiente apenas para uma salada, mas não tenho dúvida que serão as melhores saladas da minha vida.

Minha bicicleta e flores
Einsten disse que a vida é igual andar de bicicleta. Pra manter o equilíbrio é preciso se manter em movimento, e é por isso que continuo pedalando. Ande de bicicleta e faça amigos. Em alguns dias um desses novos amigos vai se mudar, e toda a mudança será transportada sobre duas rodas. Já me voluntariei e não tenho dúvidas do quão agradável esta tarefa será. Faremos um pequeno vídeo como o abaixo, Moving house by bicycle:


Moving House With Bicycles in Barcelona from Copenhagenize on Vimeo.

Outra coisa que faz minha vida melhor é passear com o cachorro. Acabo conhecendo melhor a vizinhança e seus habitantes de quatro patas, troco algumas prozas, páro um pouco na esquina para deixá-lo receber carícias de outros apaixonados por bichos e divido uma água de coco com ele.

Despertador peludo

Não mais acordarei com o despertador acima, preto, peludo e com bafo, mas não posso deixar de ver este cachorro que só me traz alegria.

Enfim, estas são algumas coisas que alegram meu dia. O jogo continua, então, bola prá frente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário