segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Curto Café

Imagine uma loja sem preços, paga-se o quanto quiser. Nesta loja também não tem caixa registradora, você coloca o dinheiro em um jarro e pega seu troco. Tá duro? Não tem problema, pode pagar outro dia. Parece pouco provável que um estabelecimento desse jeito possa funcionar aqui. A gente até acredita que no Canadá isso seja comum, mas jamais imaginaríamos algo parecido em Pindorama.

Mas acredite, é assim que funciona no Curto Café, cafeteria que fica na sobreloja do Menezes Cortes, Centro do Rio.

"Caixa"

Um quadro exibe todos os custos da loja, fixos (aluguel, contador, limpeza, salários etc) e variáveis (dose de espresso, cappuccino e pacotes de café). É atualizado diariamente com o faturamento, mostrando para os clientes quanto falta para fechar as contas do mês. O ambiente é descontraído, com pufes, bancos e mesas, nas quais é possível ficar o tempo que quiser e usar o wifi liberado sem que ninguém te olhe com cara feia.

O mais bacana é a filosofia de vida dos quatro jovens proprietários, que acreditam no poder da interação entre os seres humanos e na construção de formas mais justas de comércio, e isso fica claro no discurso apaixonado de cada um.

No Curto não existe separação de espaços entre funcionários e clientes. As máquinas e a pia ficam disponíveis e quem tem mais intimidade pode preparar seu próprio espresso. Muita gente também lava a louça por iniciativa própria.

O café é de alta qualidade, produzido no Espírito Santo. Minha namorada adora e tem sido este que bebemos em casa.


Passa lá, fica um pouco e beba um café. O lugar é incrível.

Imagens tiradas da página do Curto no Facebook.

Nenhum comentário:

Postar um comentário