sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Pontapé Beach no Rio Show



Juarez Becoza é o maior especialista em botequins do Rio de Janeiro, autor da coluna Pé-Sujo no Rio Show. Claro que pé-sujo é uma forma carinhosa de se referir aos nossos amados butecos (nem sempre tão butecos assim).

Hoje o Pontapé Beach é quem faz as honras na coluna, e, assim como Guilherme Studart, cita a dona do estabelecimento pelo nome, Rose Coelho, mostrando carinho e intimidade com a proprietária portuguesa da casa.

Falou muito bem do lugar, do bacalhauzinho da Dercy (croquete de arroz de brócolis), do salmão com maracujá, carne-seca à milanesa e da tijelinha de angu com frutos do mar (leia a matéria).

Como já contei aqui, fui ao novo endereço do Pontapé e só fiquei cinco minutos. O volume da música impedia uma boa conversa e, além disso, o grupo tocava um pagodinho. Não era samba, era pagode mesmo,   da pior categoria.

Das duas uma: ou os dois maiores especialistas em botequins da cidade estão sendo gentis ou receberam tratamento diferenciado com suas ilustres presenças. Cito ainda uma terceira hipótese: dei azar ao fazer minha primeira visita.

O fato é que preciso ir lá novamente para ver se desfaço a primeira impressão.

Pontapé Beach: Praia da Ribeira 63, Ilha do Governador — 2467-6954.
Ter a sex, das 17h30m à meia-noite. Sáb, do meio-dia à meia-noite

Atualizações:

1. Veja o site do Pontapé: www.pontapebeach.com

2. Veja resenha do Rio Show aqui. Muito bacana.

Um comentário:

  1. Eu tbm infelizmente já fui ao pontapé e concordo com a critica feita. Eu havia marcado com um grupo de amigos (as) para imos conhecer o lugar, quando eu cheguei já estavam todos lá, pedir ao garçon que me arrumasse uma cadeira fiquei um tempão em pé esperando e nada, tive que pedir licença a um casal e pegar uma cadeira que estava sobrando na mesa deles. Odiei o som alto (pagode) se ainda fosse mpb tudo bem, nem dava para conversar e tbm não gostei do atendimento, tudo muito demorado desde o pedido até a conta.

    ResponderExcluir