domingo, 27 de fevereiro de 2011

Comedores de carne

Uma prima alemã da minha digníssima passou uns dias aqui para conhecer o Rio. Ela não come carne em respeito aos animais, é contra a matança de bichos. Contou que na Alemanha são poucas as pessoas que ainda comem.

Além disso, ela trabalha numa fazenda que produz produtos orgânicos a base de abóbara e toda renda é revertida para manutenção de um abrigo para animais. Ele trouxe óleo de semente de abóbara e sementes salgadas e doces que são comidas como aperitivos, tal qual fazemos com amendoins.

Kürbiskerne e Kürbis-Kernöil da Alemanha - deliciosos

Deixar de comer carne em respeito aos animais é uma prática que requer um desapego muito grande ao mundo material e acho que nunca vou conseguir chegar até tal nível. É por isso que muitos vegetarianos se acham seres superiores aos comedores de carne, se acham mais evoluídos. Não sei se trata-se de evolução, mas acredito que dentro de alguns séculos os animais não mais farão parte do nosso cardápio.

Tenho pensado muito a respeito disso principalmente depois de assistir dois filmes: Fast Food Nation e Food Inc. Gosto muito de documentários e de me informar por meio de outros tipos de mídia que não o Jornal Nacional e a publicidade tradicional, saber o que acontece por trás da Matrix. Isso nos torna realmente pessoas intelectualmente independentes, já que a grande mídia visa apenas o lucro e a manipulação (longo assunto, deixo os detalhes para outro dia).

Os dois filmes citados mostram o processo necessário para termos um pedaço de carne na mesa. Infelizmente temos mais notícias sobre como isso acontece nos Estados Unidos do que aqui. Lá envolve trabalha ilegal, baixos salários, acidentes com mutilações, carne contaminada, publicidade para crianças entre muitas outras atividades predatórias. Realmente é cruel, qualquer um que assiste pára um pouco para refletir.


Não acho que comer carne seja errado. Acredito que deus fez as vacas para serem comidas e elas ficam felizes em saber disso. O céu da vaca, o nirvana, é o churrasco. Toda vaca quer um dia virar um churrasco. Mas o processo para isso é muito violento.

Minha opinião é semelhante ao uso de produtos chineses. Não uso grandes marcas, como a Nike, porque para um tênis chegar até nossos pés requer trabalho semi-escravo, trabalho infantil e péssimas condições de vida para milhões de pessoas. Muita gente não acredita, mas comprar um produto chinês é alimentar esse sistema que vitimiza essas pessoas, mas viver sem consumir esses produtos só virando um ermitão.

Uma coisa que une essas duas formas de exploração é comer no McDonald's. Isso só traz desgraça e não consigo pensar em nenhum benefício para sociedade: "alimentos" com altos índices de gordura e sódio, publicidade infantil contribuindo para o aumento da obesidade, brindes chineses, funcionários mau remunerados entre outras coisas. Mas, ainda assim, pelo menos uma vez por ano paro numa loja para comer um Big Mac, passo mal e prometo nunca mais voltar.

Último exemplo: também não acho errado fumar maconha. Tenho muitos amigos que fumam e são excelentes pessoas, trabalham e estudam, levando uma vida muito bem sucedida. O problema é o caminho que a erva percorre até chegar ao consumidor final: subornos, propinas, armas, mortes.

Comer carne é alimentar um sistema cruel. Por isso penso não em parar, mas em diminuir a quantidade de bichos no prato.

Filmes - assistam e entrem na Matrix

Food Inc (Comida SA - link)

Se você ainda acredita nas imagens das belas fazendas estampadas nas embalagens da comida que você compra nos supermercados, assista a esse filme.


Um número reduzido de poderosas corporações está dominando quase todo o mercado americano de comidas. E sendo corporações, a visão sobre o assunto é lucro e não saúde. Talvez seja por isso que a maioria dos diretores dos órgãos de controle nos EUA seja ex-funcionários de grandes empresas.


Veja como isso se reflete na qualidade dos produtos que ingerimos, veja como estão mudando a criação desses animais e como estão mudando esses próprios animais. Conheça os riscos para as pessoas e para o planeta.


Para qualquer um que busque qualidade de vida e saúde, sugerimos assistir a esse documentário.

Fast Food Nation (Nação Fast Food)

Numa altura em que as preocupações alimentares estão na ordem do dia, "Geração Fast Food" segue o percurso do "The Big One", o hambúrguer mais bem sucedido da cadeia de fast food Mickey's. Desde a sua criação até ao momento em que é vendido, a historia de um simples hambúrguer cruza-se com uma série de acontecimentos e de pessoas que, quando percebem de que é feito e o que está por trás, decidem impedir que a América se torne numa Nação Fast Food.


As precárias condições de higiene na frabricação e embalagem da carne, os maus tratos a que os animais estão sujeitos, a exploração laboral, entre outras questões, são retratadas nesta obra polêmica.

A história das coisas

Conheça um pouco sobre a cadeia produtiva mundial e o quanto estamos destruindo o planeta. Este é, sem dúvida, um dos vídeos mais importantes do Youtube:


Não deixe de assistir também:

A história dos cosméticos e a história do Cap and Trade
A história dos eletrônicos
A história da água engarrafada

Nenhum comentário:

Postar um comentário