quarta-feira, 8 de outubro de 2014

O quê você faz?


Na Finlândia, quando se conhece alguém e perguntamos o que ela faz, a resposta não é o trabalho, mas o hobby. Pode ser aeromodelismo, xadrez, ciclismo, montanhismo ou qualquer outra atividade, as pessoas se identificam primeiro com com o que elas fazem quando não estão trabalhando. Além disso, os finlandeses trabalham apenas seis horas por dia em locais que ficam a quinze minutos de casa.


Aqui no Brasil e em muitos outros países, quando fazemos a mesma pergunta a resposta é a profissão. Sou advogado. Analista de RH. Auxiliar administrativo. Não que o trabalho não seja uma forma de realização, pelo contrário, mas muitas vezes dedicamos tempo demais e acabamos não fazendo outras coisas que também são prazerosas.

Até quando não estamos trabalhando estamos pensando em alguma forma de conseguir uma promoção ou amento de salário. Fazemos cursos, especializações, línguas, sempre com temas ligados às atividades profissionais que desenvolvemos. Quem não tem vontade de, ao invés daquele curso de marketing, estudar gastronomia, por exemplo? E trocar aquela pós-graduação em finanças todo sábado de manhã por aulas de literatura ou pintura? Você já parou para pensar quando foi que reservou um tempo para você fazer algo que realmente gosta?

Por isso quero propor um exercício. Se você tivesse que se apresentar para alguém e essa apresentação não pudesse citar seu trabalho, como seria? Qual a atividade que você faz ou gostaria de fazer com a qual se apresentaria na Finlândia? Se você também trabalhasse apenas seis horas por dia, a 20 ou 30 minutos de casa e tivesse tempo para se dedicar a algum hobby, qual seria?

Agora que fizemos esse exercício, peço duas reflexões: o que você está esperando para começar? É sério que vai deixar a vida passar e dedicar toda sua energia ao trabalho? A segunda reflexão: será que é possível um dia sermos como a Finlândia e trabalhar apenas seis horas por dia e não gastar mais que uma hora (ida e volta) para casa?

*********

Transcrição da abertura e slide da minha palestra Bicicletas, Planejamento Urbano e Felicidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário