terça-feira, 9 de junho de 2015

Atenção moradores da Ilha!

Todo mundo que mora ou frequenta a Ilha do Governador sofre com os engarrafamentos, e a prefeitura quer piorar ainda mais nossa situação.

Nenhum prédio na Ilha pode ter mais de três andares e o motivo é simples: a região não tem estrutura para tanta gente. Se os engarrafamentos de manhã e a noite já são enormes e os ônibus ficam lotados, imagina se houvesse prédios com mais andares e, consequentemente, mais gente morando.

É isso que a prefeitura quer fazer, aumentar o gabarito. Todo mundo sabe que Eduardo Paes governa para as empreiteiras, o compromisso dele é com aqueles que financiam sua campanha, e não com a população. Não podemos deixar que a vida na Ilha piore mais do que já está.

Prédios mais altos significa mais gente morando, mais carros nas ruas e ônibus mais cheios. Só quem ganha são as empreiteiras que venderão novos condomínios

Quinta vai acontecer uma audiência pública com cartas marcadas na Câmara Municipal, 18h30, para debater o PEU da Ilha (Projeto de Estruturação Urbana).

Audiência Pública PEU da Ilha
Quinta, 11 de junho, 18h30
Câmara Municipal - Cinelândia


Algumas pessoas estão se mobilizando para evitar que essa barbaridade ocorra. Veja a agenda de atividades. Chegou a hora de defender a Ilha. Segue a agenda:

1) Reunião na 3.ª feira (09/06), às 19h, na rua Praia do Jequiá, 130 (ao lado do posto, próximo à ACM, Ribeira), com a participação da vereadora Tania Bastos.

2) Durante a semana, de 2.ª (08/06) a 5.ª (11/06), vamos em caravana à Câmara procurar outros vereadores, para ouvi-los e saber mais sobre esse PEU. Na 3.ª, 14h, encontro já marcado com o vereador João Batista Babá (que também é professor de Planejamento Urbano na UFRJ). Vamos tentar marcar também com outros, ou achá-los em seus gabinetes. Começaremos na 2.ª, 15h (com encontro na entrada lateral da Câmara. Para quem for de barca, encontro no Cocotá para pegar a das 14h.)


3) Na quinta-feira (11/6), às 18h30, na Câmara Municipal (Cinelândia) a aguardad0a — e ainda mal estudada por nós (menos ainda pela população) — AUDIÊNCIA PÚBLICA do PEU da Ilha (que poderá alterar vários parâmetros da região, para o bem ou para o mal).


Contatos: 97133-3201 (Aluisio Lemos) ou 97380-2812 (Marcello Cantizano)

************

Atualização: é um erro comum achar que o limite de três andares da Ilha é por causa do aeroporto. Não é. Regras internacionais permitem construções com até 48 metros (11 andares) num raio de 4km do aeroporto.

Uma rápida pesquisa no Google dá para provar isso, além de ver a alta quantidade de aeroportos no Brasil com prédios deste tamanho em volta.


Atualização 2: outro erro frequente é achar que a limitação é por causa de um suposto lençol freático, uma espécie de cisterna natural cheia d'água que fica há poucos metros da superfície do solo. Existindo ou não o lençol, modernas técnicas de engenharia já permitem a construção nestas regiões.



Atualização 3: Segue mensagem enviada pelo ambientalista Sérgio Ricardo sobre o PEU da Ilha:


Se o projeto (PEU) for aprovado significará um grande DESASTRE AMBIENTAL e um CRIME CONTRA O PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURAL: o "novo" PEU autoriza a demolição do casario antigo de valor histórico-cultural para construção de prédios (nos últimos anos várias construções antigas já tem sido destruídas sem a prévia adoção de qualquer critério técnico de preservação); está previsto o aumento dos gabaritos (altura dos prédios) de até 12 andares na Ilha do Fundão e o adensamento de 100% das unidades residenciais na Ilha do Governador. Estas absurdas mudanças urbanísticas, que estão sendo adotadas sem ouvir a população, terão como resultado um maior caos no trânsito da região. O PEU não prevê o reconhecimento da comunidade de Tubiacanga como Área Residencial, nem prevê sua Regularização Fundiária, mantendo o risco de sua futura remoção e despejo para ampliação do Aeroporto Internacional do Galeão.
Caso o projeto (PEU) seja aprovado pela Câmara de Vereadores, ao invés de um bairro que tem tudo para ser uma referência em sustentabilidade e qualidade de vida, a Ilha será transformada num bairro cinza, com mais imobilidade no trânsito, mais poluição e péssima qualidade de vida, além de inviabilizar a futura despoluição da Baía de Guanabara.

Atualização 4: Achei esta cartilha sobre o PEU da Ilha com dados interessantes. Alguns equivocados.


7 comentários:

  1. Nem a Ilha suporta, muito, peso!!!!

    ResponderExcluir
  2. Essa informação não está correta! O local não pode ter prédios com mais de três andares por causa do enorme tráfego de aviões por conta do aeroporto. Não é porque não suporta mais gente. Qualquer área urbana que tenha aeroportos de nível internacional tem regras de engenharia e arquitetura rígidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guarulhos tem prédios bem grandes do lado do aeroporto. O aeroporto poderia restringir, no máximo, o Galeão, que já é restrito pela Força Aérea. O resto da ilha não é afetado pela presença do aeroporto. É um engano comum. Outro engano comum é alegar que o solo arenoso não suportaria uma prédio maior. Dubai é um deserto com arranha-céus. Só é preciso dinheiro e engenharia.

      Excluir
    2. Querido, esse é um erro comum. Regras internacionais limitam construções com até 45 metros (11 andares) num raio de 4km do aeroporto. Ou seja, não enquadra a Ilha, que tem gabarito de 3 andares.

      Excluir
  3. Primeiramente não entendi exatamente o propósito do prédio. E depois:Quanta besteira! Em vez de gastar energia e protestar contra as empresas de viação da ilha do governador (IDEAL e PARANAPUÃ) que diminuem a frota normal dos ônibus mesmo com diversos aumentos nas passagens graças ao nosso "digníssimo prefeito", ou aumentam a circulação de frescões dos quais poucos podem pagar com a finalidade de ter mais lucro (até porque lota-se ônibus com a tarifa "normal" de 3,40 e poe a disposição de quem pode os frescões, que não podem ter pessoas de pé). Outro ponto é a falta de conhecimento ou deturpação da informação acerca do limite de andares nos prédios na ilha. Utilizar a desculpa de que a ilha não pode ter mais gente é superficial, fútil e grosseira! A Ilha necessita de melhor transporte público em primeiro lugar, não só através dos ônibus mas também as barcas.Além disso outras alternativas ou pelo menos que aumentem o quantitativo sem esquecer da qualidade. Mobilizem-se por uma causa que seja de fato para a coletividade amigos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, você não parou para pensar no que escreveu... Imagina aumentar o número de pessoas e aumentar o número de ônibus, SEM aumentar a infraestrutura? Você vai dar um nós na Ilha! Cambaúba tem UMA pista em cada lado: A estrada do Dendê tem UMA pista de cada lado; E estas são as vias principais de seus bairros! Temos somente UMA estação de barcas e mesmo assim sucateada. Temos somente uma entrada/saída para todo o fluxo rodoviário. Resumo não dá vazão hoje, vai dar com mais gente e mais veículos?
      É com opiniões assim que estamos piorando a olhos visto...

      Excluir
  4. A Ilha não precisa de mais prédios, ou de"renovação" como diz a Prefeitura, ou de prédios com mais unidades como deseja o mercado imobiliário, que quer acabar com o quoeficiente 100 e criar pombais de gente. Quem pediu um novo PEU para a Ilha? Quem reivindicou mais verticalização? Alguém na Ilha tem real necessidade de mais leis? Não conheço ninguém que sim para qualquer das três.

    ResponderExcluir