quarta-feira, 10 de junho de 2015

Mitos sobre a Ilha do Governador

Alguns mitos sobre o limite do gabarito de três andares na Ilha do Governador:

Reparem nos prédios perto do Aeroporto de Congonhas

Lençol freático: uma espécie de cisterna natural cheia d'água que fica há poucos metros da superfície do solo. Construções muito pesadas afundariam. Existindo ou não o lençol, modernas técnicas de engenharia já permitem a construção nestas regiões. É só dar uma olhada no shopping, estrutura grande e pesada que não poderia ter sido erguida caso este mito fosse verdadeiro.

Aeroporto: regras internacionais permitem a construção de prédios com até 48 metros de altura (11 andares) num raio de 4km do aeroporto. Logo, o gabarito de três andares na Ilha em nada tem a ver com o Galeão.

A imagem acima é de Cumbica, vejam a altura dos prédios. O mesmo acontece em outros aeroportos, como o Salgado Filho, por exemplo.

Abaixo o hotel Linx, que fica no Galeão. Quantos andares ele tem?

Hotel na Avenida 20 de Janeiro com mais de três andares prova que o gabarito da Ilha em nada tem a ver com o aeroporto

A verdade: o real motivo da limitação a três pavimentos tem a ver com a estrutura da região. Prédios mais altos significam mais apartamentos e mais moradores, logo teríamos mais carros e mais gente utilizando os já exauridos sistemas de transporte público. 

Imagina os engarrafamentos e a lotação dos ônibus se houvesse mais gente morando na Ilha, se houvesse o dobro de habitantes.

Por isso sou contra qualquer alteração que permita isso, como o atual Projeto de Estruturação Urbana que está tramitando na prefeitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário